Se você já se sentiu angustiado em relação a isso, este artigo pode ajudá-lo. Clique aqui e sabia mais sobre esse assunto que será abordado no Encontro Sepal 2020


Por Cleiton Oliveira

Não são poucas as vezes que líderes se veem diante deste dilema: “Como conciliar a vida ministerial ou profissional com a vida familiar?” Em consequência do dia a dia geralmente atarefado, não é à toa que muitos enfrentam sérias crises emocionais, como sentimento de culpa, angústia e tristeza, por sentirem que “estão falhando” com seus entes queridos. Para evitar tal situação, é fundamental encontrar um ponto de equilíbrio e esforçar-se para mantê-lo, mesmo diante de pressões.

Naturalmente, atingir esse objetivo não é fácil. Ele requer empenho, renúncias e autodisciplina. Somente assim, o líder poderá estabelecer prioridades e permanecer firme àquilo que lhe é importante. Ao falar sobre tal habilidade, John Maxwell, famoso autor na área de liderança, afirmou em seu livro Você nasceu para liderar (Thomas Nelson Brasil): “Os bons líderes praticam o autocontrole antes de tentar arregimentar os outros, pois a autodisciplina vem antes do sucesso da liderança. É o preço do liderar. […] O maior desafio referente à liderança reside em liderarmos a nós mesmos”.

Liderar sem negligenciar nenhuma esfera da vida

 “A Bíblia tem muito a dizer sobre o equilíbrio saudável entre o ministério e a família” — afirma Ismail Sperandio, pastor com mais de 50 anos de ministério, autor de livros, diretor executivo do MINEC – Desenvolvimento e Treinamento, instituição que se dedica ao ensino dos princípios bíblicos para a edificação da vida pessoal, familiar e profissional, à proclamação do evangelho e à formação de líderes e ministérios de discipulado. Ismail é preletor confirmado do Encontro Sepal 2020.

Dentre os textos elucidativos sobre a questão do equilíbrio entre a vida ministerial e familiar, Ismail destaca as passagens de Efésios 5.11-33, 6.1-4; Colossenses 3; 1Timóteo 3.1-13; Tito 1.5-9 e 1Pedro 3.1-8, 5.1-5. Conforme aponta, o líder não pode viver somente em função de sua família ou do ministério. Ele precisa entender que em seu dia a dia há um trabalho a ser realizado e uma família a ser cuidada. Nenhum dos dois pode ser negligenciado. Além disso, Ismail sublinha posturas que devem permear todas as esferas da vida: educação, respeito, honra e dignidade.

[Olho] “[…] se um homem não é capaz de liderar a própria família, como poderá cuidar da igreja de Deus?” (1Timóteo 3.5, NVT)

Pessoas são mais importantes do que programas

Outro ponto fundamental sinalizado por Ismail reside na habilidade de dizer não, diferenciando atividades que são meras programações infrutíferas e entendendo que negligenciar o equilíbrio pode resultar em perda de autoridade e credibilidade.

Ismail também aponta que todos, inclusive os líderes, precisam de pessoas amigas que os ajudem a perceber suas falhas. Nesse contexto, deve haver humildade para ouvir sem se justificar e para consertar o que está errado. “Precisamos sempre lembrar que estamos no processo de formação. Não estamos ‘prontos’, ainda. A imagem de Cristo está sendo formada em nós. Vamos cometer erros, mas eles podem ser consertados com a graça de Deus”. •

Participe do Encontro Sepal 2020!

Se você deseja saber mais sobre a importância do equilíbrio entre a vida ministerial e familiar, venha participar da 47ª edição do Encontro Sepal. O evento acontecerá entre os dias 12 e 15 de maio, em Águas de Lindoia (SP), e contará com a presença de renomados preletores nacionais e estrangeiros. Clique aqui e faça sua inscrição!

    Cleiton Oliveira"> Cleiton Oliveira
    Cleiton Oliveira é jornalista, tradutor e ghostwriter de autores brasileiros. Estrategista em comunicação externa e assessoria de imprensa, é colaborador de conteúdo para a Sepal. Criador do blog "Por toda a Terra - Mensagens de vida para as nações" (portodaaterra.com), escreve artigos que falam de esperança, transformação e fé.

    Leave A Comment