fbpx

Encontro Sepal Online 2020 | Servindo Pastores e Líderes | 24 a 26 de setembro

O bom pastor, a trindade e o amor
1ª noite do Encontro Sepal 2020

Por Riziely Herrera e Phelipe Reis

O primeiro dia do Encontro Sepal 2020 foi de profundas reflexões sobre o caráter de Deus e sobre como temos nos relacionado com ele e com o próximo. Edméia Williams trouxe uma reflexão baseada em Apocalipse 10, nos animando e confrontando a “comer a Palavra” e a sermos obedientes ao nosso Bom Pastor. A preletora fez um alerta aos líderes, pois, de acordo com ela, em muitos momentos “damos o alimento o tempo todo e não temos tempo para parar e nos alimentar”. Neste sentido, é preciso que o líder se alimente da palavra de Deus, primeiro, para que ela o transforme.

A importância da leitura e meditação na Palavra Deus foi muito enfatizada por Edméia: “A Bíblia não pode ser um aperitivo. Ela precisa estar em nosso sangue para que ela se metabolize em vida, para todos aqueles que estão precisando de nós. Não podemos olhar para os lados, fomos chamados para olhar para o alto (Colossenses 3.1-3).”

 

O Bom Pastor

Edmeia encorajou os congressistas, lembrando que exercício do ministério pode ser doce e depois se tornar amargo. Muitos pensam até em desistir, mas é preciso confiar que Deus faz tudo com plenitude de tempo. “Se ele quis que fôssemos a igreja do século 21 num tempo de pandemia, será que Deus não sabe o que está fazendo? Ele Sabe!”, enfatizou, acrescentando que a primeira menção a Deus é como um pastor, que apascenta e alimenta, e neste pastor podemos confiar.

Em meio a incerteza do futuro pós-pandemia, a missionária destacou: “Não sabemos para onde vamos, mas sabemos que no meio de tudo Deus nos deu uma quarentena nos chamando para ele [dizendo]: olha para mim”. Ela também deixou uma palavra específica direcionada aos pastores: “Pastor, você que está preocupado com sua igreja, o retorno, como vai ser, o que vai acontecer… Lembre-se de uma coisa. O seu pastor, Jesus, lhe disse: ‘apascenta o meu rebanho, alimenta os meus cordeiros’. É preciso que você se alimente dele para ter o que entregar para os cordeiros. Ele é o pastor da sua vida!”.

Edmeia finalizou sua exposição sinalizando para este tempo de pandemia como oportunidade: “Deus está chamando a liderança cristã para que neste tempo de quarentena tenham um tempo com Deus. Para que depois não possam dizer que não tiveram tempo. É preciso aproveitar esse tempo para seguir o conselho de Jesus: entrar no quarto, fechar a porta e orar ao Pai em secreto”, destacou.

Após um bate-papo entre Ivone Botelho, Jairton Melo e Edméia Williams, respondendo a perguntas dos participantes, a programação contou com mais um momento musical com Paulo César Baruk e, em seguida, Luiz Sayão compartilhou a segunda ministração da noite.

 

A trindade

A palavra de Sayão foi baseada em um desafio simples e, ao mesmo tempo, complexo a respeito da nossa compreensão sobre a Trindade e o nosso entendimento acerca de relacionamento e amor. Segundo ele, tendemos a culpar as tecnologias pela superficialidade dos relacionamentos, mas a fragilidade está na visão que temos da nossa realidade e como conduzimos nossa vida no relacionamento com o próximo.

Quando pensamos na vida temos pelo menos três pontos de partida. A visão animista, que acredita que toda realidade é espiritual e cada ambiente é habitado por forças espirituais. A visão secular, que afirma que no fim das contas não existe nada espiritual, tudo é concreto. E a visão bíblica, que trabalha com a idéia teísta de que existe um Deus, pessoal, criador do universo, que não é mera energia ou força, que tem raciocínio e age dentro do contexto da criação.

 

O amor

Sob o ponto de vista da Trindade, Deus nunca esteve em “isolamento social”. Ele não precisaria criar nada. Mas em seu ato soberano e amoroso, ele abre espaço em si mesmo para dar origem a todas as coisas. Podemos ver esse fator relacional no projeto de Jesus, porque ele não tinha nenhum radicalismo metodológico. Ele estava conectado com os doze discípulos e ao mesmo tempo com toda multidão. Por isso, a nossa caminhada precisa ser vista como uma caminhada de qualidade relacional.

Explicando o mistério da trindade, Sayão afirma que a concepção acerca da natureza de Deus não é algo irracional, mas sim algo que ultrapassa o raciocínio e o entendimento humano. Nas palavras dele, “na essência da trindade, ela se ama em si mesmo. O amor não é decorrente dos seres criados, mas faz parte da essência de Deus. Então, Deus é pessoal, relacional e define nossa realidade e liberdade.”

Sayão pontua ainda que a compreensão que temos da trindade tem implicações práticas na vida do cristão: “A trindade de Deus se define como o modelo e que reflete como a gente constrói a família e a própria missão”. Por isso, é preciso definir nossas relações a partir de três elementos como o cerne da fé, que envolve o amor incondicional, o entendimento de Deus e a forma como conduzimos a vida.

 

Frases

“Os relacionamentos líquidos não são culpa só da tecnologia, mas uma fragmentação de idéias bíblicas.” L.S.

“Deus não iria me deixar em casa por seis meses para assistir televisão. Ele tem um propósito nisso para todos.” E.W

“O amor não é decorrente dos seres criados, mas faz parte da essência de Deus.” L.S.

“O lugar da dor se transforma no lugar da revelação.” E.W

“Somente o Deus bíblico revelado na perspectiva cristã apresenta um Deus uno e diverso ao mesmo tempo.” L.S.

“Jesus falou ‘ide e fazei discípulos’, mas nós estamos indo e fazendo ‘evangélicos’.” E.W.

Sepal | Servindo Pastores e Líderes | Direitos Reservados | Site Design: Renanyosh Design